Um ex-funcionário da NASA compartilhou imagens chocantes que vão acabar com o seu conceito de “Planeta Terra”

A Terra é um planeta do Sistema Solar que gira em torno de sua estrela, o Sol, na terceira órbita mais interna

foto-pronta

A Terra é um planeta do Sistema Solar que gira em torno de sua estrela, o Sol, na terceira órbita mais interna. É o mais denso e quinto maior dos oito planetas no Sistema Solar. Também é o maior dos quatro terrestres, foi formado há cerca de 4.550 milhões de anos atrás e a vida nele surgiu um bilhão de anos depois. É o lar de milhões de espécies, incluindo os seres humanos e atualmente o único corpo astronômico onde se conhece a existência de vida.

A atmosfera e outras condições abióticas foram significativamente alteradas pela biosfera do planeta, favorecendo a proliferação de organismos aeróbicos, assim como a formação de uma camada de ozônio, que, em conjunto com o campo magnético terrestre, bloqueia a radiação solar nociva, permitindo assim a vida a terra. As propriedades físicas da Terra, a história geológica e sua órbita permitem que a vida exista.

A superfície terrestre ou crosta é dividida em várias placas tectônicas que deslizam sobre o magma durante períodos de vários milhões de anos. A superfície está coberta por continentes e ilhas que, por sua vez, possuem vários lagos, rios e outras fontes de água, que, juntamente com os oceanos de água salgada, representam cerca de 71% da área da Terra. Não se conhece nenhum outro planeta com este montante de água líquida, que é essencial para qualquer tipo de vida conhecida.

A forma da Terra é muito semelhante a de um esferóide oblato, uma esfera achatada nos pólos, resultando em uma protuberância em torno do Equador. Esta protuberância é causada pela rotação da Terra.

Este inchaço faz com que o diâmetro no Equador seja 43 km mais largo do que o diâmetro de um pólo para o outro. Há aproximadamente 22.000 anos atrás, a Terra tinha uma forma esférica, a maior parte do hemisfério norte se encontrava coberto por gelo e a medida que o gelo derretia, causava uma menor pressão na superfície terrestre, resultando neste rebote.

Este fenômeno continuou a ocorrer até meados dos anos noventa, quando os cientistas perceberam que esse processo foi revertido, ou seja, o inchaço aumentava. As observações de satélite GRACE mostram que, pelo menos desde 2002, a perda de gelo na Groenlândia e na Antártica tem sido o principal responsável por esta tendência.

Desde muito pequenos nos ensinam que o nosso planeta é redondo, mas depois das últimas imagens que vieram à tona, temos que repensar essa ideia. Estas imagens foram vazadas por um ex-funcionário da NASA. Certamente você deve estar pensando que esta informação é de nenhum uso, mas, na verdade, conhecer a forma exata da Terra nos permite entender melhor o seu funcionamento, o movimento dos oceanos, as grandes massas de gelo e o crescente nível do mar.

Tudo isso foi comprovado graças ao envio do satélite GOCE. Este satélite tem realizado uma série de medições de alta precisão da forma da Terra e poderíamos dizer que o planeta tem a forma de uma uva passa enrugada.

foto-pronta

O satélite GOCE é dedicado a medir o campo gravitacional da Terra. Foi lançado em 17 de Março de 2009 por um foguete russo Rockot, depois de ter sido adiada sua data inicial de 27 de Outubro de 2008 devido a problemas com o lançador de foguetes. Após o tanque de combustível xenon estar esgotado, o satélite começou a perder altitude, resultando em uma reentrada em 11 de novembro de 2013, destruindo-se na atmosfera superior.

Se trata de uma descoberta surpreendente e, através dela, podemos compreender melhor o funcionamento do planeta.
Se você gostou deste artigo, curta e compartilhe com seus amigos e familiares.

(Via agencia de noticia)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *