Temer quer aumentar trabalho diário de 8h para 10h! Entenda….

foto-pronta

De uma coisa ninguém pode reclamar do atual governo federal, que ele seja populista. Dizendo que não irá se candidatar à reeleição em 2018, Michel Temer, do PMDB, promete fazer medidas bem impopulares, mas que seria capazes, segundo especialistas, de equilibrar a economia. A reforma da previdência é a mais urgente e principal delas. Mas não só ela. De acordo com uma reportagem publicada nesta quinta-feira, 08, pela ‘Fola de São Paulo’, o Ministro do Trabalho, Ronaldo Nogueira, propôs em reunião com sindicalistas que a jornada diária de trabalho aumente de 8h para 10h. Nesse caso, as horas extras já seriam consideradas e o período jamais poderia passar das 10h.

Por semana, no entanto, nada mudaria. O limite continuaria sendo de 48h, as 44 habituais, mais quatro horas extras. Essa seria uma forma de poupar com várias coisas, como luz e transporte. Mais tempo realmente trabalhando, faria fábricas pouparem energia. Assim, seria possível trabalhar quatro vezes na semana, o mesmo número de horas que antes, e teoricamente produzindo o mesmo. Há sempre alguma redução devido ao cansaço dos funcionários, especialmente nas horas finais da jornada de trabalho.

Outra coisa que o governo quer aprovar é o modelo americano no Brasil, fazendo com que o trabalhador possa ser contratado por “hora trabalhada”, o que hoje é ilegal no país. Dessa forma, segundo o Ministro, seria possível que no dia vago ou nas horas vagas, esse trabalhador conseguisse ganhar um dinheiro extra e ajudar nas finanças de casa. Assim como no modelo tradicional, seria possível trabalhar até 48h por semana.

Isso significaria dizer que um valor somado ao outro poderia fazer com que muitos trabalhadores chegassem a quase, no máximo, 100 horas de labuta por semana. Uma semana tem 168 horas. Considerando que uma pessoa dorme oito horas por dia, daria como “semana útil” 112. A quem queira se arriscar com tantas horas de trabalho, sobraria pouco mais de uma hora por dia, o que certamente seria gasto no trânsito, indo para casa versus trabalho.

(Via agencia de noticia)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *