Quando os colegas de classe dela dizem para ela pular de um penhasco, ela pula logo apos bater na água morre…Veja!!!

ft-pronta

Os colegas de turma de Tayla na escola Dysart State School em Queensland, Austrália, atacaram a menina sem piedade. Eles zombavam dela, roubavam seu dinheiro e batiam nela. Eles diziam a ela coisas terríveis como: “Vai pular de um penhasco, vai se afogar, vai se cortar, nós não estamos nem aí.

Ela inocentemente deu seu número de telefone aos seus colegas de turma, pensando que eles eram seus amigos. Mas então eles começaram a implicar com ela através de mensagens de texto. Ela recebeu mensagens obscenas e cheias de insultos dizendo a ela para se matar. Tayla ficou tão triste que nem quis mais ir à escola.

Quando a mãe de Tayla, Kali, entrou em contato com a administração da escola e contou a eles sobre o bullying, eles colocaram a menina sozinha em uma sala na hora do intervalo como forma de “ajudar”. “Eu não gostava de ficar isolada. Eu queria sair e brincar, eu só queria que as pessoas me deixassem em paz… Era como estar em uma prisão.”

A diretora disse à mãe dela que a culpa era de Tayla por estar sofrendo bullying. De acordo com a diretora, Tayla era “estranha” e sofria ameaças por isso. Tayla começou a desenhar as crianças que a atormentavam.

Ela fez desenhos de seu próprio corpo morto. Ela parou de comer.

Os pais dela ligaram para grupos de apoio e a levaram para a terapia, mas nada ajudou. O desespero de Tayla era tão grande que ela criou uma petição online pedindo ajuda. “Eu não sei mais o que eu posso fazer ou aonde mais eu posso pedir ajuda. Minha vida é um inferno. Por favor, assine esta petição pedindo à Dysart State School para se posicionar contra o bullying. Peça o governo para fazer alguma coisas paras as escolas pararem de ignorar este problema.”

A petição de Tayla de espalhou pela internet. Mais de 10.000 pessoas assinaram o pedido de ajuda através do governo. Centenas de outras crianças contaram suas experiências com o bullying.

Mas as terríveis crianças das escola dela responderam à petição com ainda mais crueldade. A rotina de Tayla na escola virou um pesadelo total. Apenas algumas semanas após a petição ficar online, ela tentou tirar a própria vida.

“A escola não fez nada para proteger a minha filha”, disse Kali. Ela sabia que só havia uma maneira de proteger sua filha. “Nós temos que sair. Porque eu não quero a minha filha morta. Eu sinto que é isso que vai acontecer se nós ficarmos aqui. Ela vai morrer.”

O serviço de proteção à criança avaliou o bullying como sendo tão sério, que Tayla foi tirada da escola e aconselhada a deixar a cidade e ficar com os avós.

Sair daquele ambiente já está fazendo maravilhas por Tayla. Ela agora pode deixar seus dias na Dysart State School para trás, sabendo que sua família sempre irá amá-la. Sua mãe e irmãos logo irão se mudar para ficar com ela, e juntos eles irão iniciar uma novo capítulo em suas vidas.

Esperamos que Tayla logo redescubra como a vida pode ser bonita, agora que ela está cercada de pessoas amigáveis e amorosas.

ft-pronta

(Via Agencia De Noticias)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *