Por que as pessoas traem? A ciência explica!

Trair o seu parceiro um tabu na maioria das culturas, mas de algum jeito isso dá história para roteiros de filmes, e inspirações para várias músicas sobre corações partidos.

foto-pronta

Trair o seu parceiro é um tabu na maioria das culturas, mas de algum jeito isso dá história para roteiros de filmes, e inspirações para várias músicas sobre corações partidos. Mas por que as pessoas traem? Existe alguma explicação científica por trás disso? Descubra!

#1 – Apenas 3% dos mamíferos são monogâmicos, o que significa que eles têm apenas um parceiro durante toda sua vida, e os humanos se encaixam nessa categoria. De um ponto de vista evolucionista, isso é vantajoso porque um parceiro pode proteger a prole enquanto o outro procura por comida e oferece recursos. Mas, de algum modo, a traição é um comportamento humano normal.

#2 – O código genético para um receptor de dopamina tem um papel importante na traição para homens e mulheres. Às vezes chamado de “hormônio feliz”, é lançado após atividades prazerosas como fazer exercícios, comer, e ter orgasmos. Um estudo descobriu que 50% das pessoas que possuem um alelo variante longo desse gene traíram seus parceiros, comparados a apenas 22% que têm o alelo curto e nunca traíram.

#3 – Os participantes com longo alelo também têm a tendência de serem arriscados, e sucumbirem a comportamentos viciantes, como alcoolismo. Talvez a frase “uma vez traidor, sempre traidor” possa ter uma base real.

#4 – Outro hormônio, chamado vasopressina, também tem um papel importante nessa história. Similar a ocitocina, que é às vezes é chamada de “hormônio do carinho”, a vasopressina pode afetar a confiança, empatia, e os vínculos sociais. Ao injetar vasopressina diretamente no centro de recompensa de um rato de laboratório poligâmico, a probabilidade dele se tornar monogâmico aumenta consideravelmente.

#5 – Pessoas com autismo também possuem uma menor quantidade desse hormônio, afetando sua habilidade de entender os círculos sociais.

#6 – Em 2014, um estudo envolvendo mais de 7 mil gêmeos finlandeses descobriu que as mulheres que traíam tinham uma variável no gene que codifica o receptor de vasopressina, sugerindo que baixos níveis do hormônio influenciam no ato de trair.

#7 – O dinheiro também pode ser um fator importante. Homens que ganham mais do que suas parceiras têm mais probabilidade de trair. Mas a probabilidade também é grande se eles são donos de casa. Apenas quando os parceiros tem o mesmo potencial de ganho, a chance de traição diminui consideravelmente.

#8 – É claro que vários outros fatores podem levar à infidelidade: desde sentimentos não resolvidos a bagagens de relacionamentos passados, e excesso de álcool no sangue. Infelizmente, relacionamentos homossexuais não foram estudados o suficiente para tirarmos conclusões concretas, mostrando que as pesquisas científicas ainda excluem grupos de minorias específicos.

(Via agencia de noticia)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *