Os paramédicos arrombaram a porta freneticamente. Eles ficaram chocados quando viram o esqueleto no chão.

Hannah Koestler, 22 anos, pode finalmente sorrir novamente. Mas, por anos, essa bonita jovem estava lutando desesperadamente por sua vida.

foto-pronta

Hannah quase morreu de inanição. E a pior parte? Foi a mente dela quem a convenceu de parar de comer.

Hannah foi acometida pela doença anorexia nervosa quando era bem novinha. Ela associa o início de sua doença com a tendência de sua família de se mudar muito. Ela frequentemente se sentia sozinha e ansiava por um senso de estabilidade.

Hanna nasceu na Áustria, mas viveu em vários outros países, incluindo China, Coreia do Sul, Estados Unidos e Japão. Ela acredita que essas mudanças tenham sido a raiz de sua doença. Ela lutou para fazer qualquer amizade duradoura e era constantemente jogada em ambientes nada familiares. Controlar o que comia foi um jeito dela sentir que podia criar alguma estabilidade em sua vida. A princípio, ela parou apenas de comer fast food, mas depois ela começou a criar regras cada vez mais estritas até mal “poder” comer qualquer coisa.

Hannah perdeu peso rapidamente, mas nunca estava satisfeita com os resultados. Ela parou de ingerir qualquer tipo de gordura e carboidratos e quase só comia tofu e vegetais cozidos. Quando Hannah tinha 17 anos, ela media 1,80 m e pesava apenas 52 kg. O rosto dela parecia afundado e seu cabelo estava caindo. Finalmente, os pais dela a levaram a um médico.

O único conselho que ela recebeu foi que seus pais cozinhassem com mais frequência em casa e ficassem com a filha enquanto ela fizesse suas refeições. Mas isso não ajudou em nada, já que Hannah ficava muito irritada se se sentisse forçada a comer algo que não estava na lista de suas comidas permitidas. Ela até jogou um prato de macarrão na mãe quando viu que havia um pouco de parmesão por cima. Hannah relembra: “Minha mãe fez o melhor para me ajudar, mas eu não permitia. Felizmente ela foi capaz de me distinguir de minha doença.” Apesar das dificuldades, Hannah recuperou algum peso e se graduou no ensino médio. Seu índice de massa corpórea (IMC) estava por volta de 17. Um peso saudável/IMC está por volta de 18-24. Os pais dela estavam satisfeitos com seu progresso e estavam convencidos de que ela estava pronta para viver por conta própria na Áustria. Ela parecia estar de volta ao seu “normal”.

O avô de Hannah morava perto e iria ficar de olho nela enquanto seus pais estavam vivendo no Japão. Mas logo que os pais dela foram embora, Hannah começou a limitar sua comida novamente, mas dessa vez ela foi ainda mais estrita. Nessa época ela estava consumindo apenas três bolinhos de arroz e bebendo apenas um copo de água por dia.

“A coisa ficou tão feia que eu me pesava 10 vezes ao dia”, disse Hannah. O peso dela caiu para apenas 30 kg e ela estava usando roupa infantil. Sua circulação era terrível e seus órgãos estavam sob coação. Quando seu avô não ouviu falar dela por alguns dias e ela não atendia a porta, ele chamou a ambulância. Os paramédicos arrombaram a porta e encontraram Hannah caída no chão. Eles não podiam acreditar que aquele esqueleto que eles viram diante de si podia ainda estar vivo.

A seguinte coisa que Hannah se lembra é a cama de hospital onde estava sendo alimentada através de um tubo em seu nariz. “Os médicos me disseram que eu provavelmente teria morrido se tivessem me encontrado alguns dias depois”, disse Hannah. Levou cinco meses para Hannah receber alta do hospital. Ela então se mudou para uma clínica onde recebeu terapia intensiva. Ela teve que aprender a ter uma relação completamente diferente com a comida. Ela passou 10 meses visitando a clínica, aprendendo como é fazer refeições regulares e quais nutrientes o seu corpo precisa.

Devagar mas com firmeza, Hannah começou a ganhar peso. Ela vem documentando a mudança do seu corpo no Instagram. Lá, ela escreveu: “Eu sei que as fotos parecem loucura, mas eu quero mostrar às pessoas aonde esta doença pode levar. E elas me lembram quão longe eu cheguei”. Ela rapidamente ganhou 100.000 seguidores, dos quais a maioria oferece palavras de encorajamento, agradecendo a ela pela coragem de dividir sua história.

Hannah está lentamente descobrindo como comer bem novamente com a ajuda de terapia comportamental (com recompensas quando ela come bem). Seu peso já voltou a um nível dentro da “normalidade” e ela está voltando a apreciar a comida. Mas a luta dela com a anorexia está longe de acabar. Seu perfil no Instagram se chama “Prosperous Healthy Life,” (Vida Próspera e Saudável), onde ela exibe fotos e receitas saudáveis. Você pode ver como ela está bem melhor agora.

Hannah sabe que tem um longo caminho pela frente, mas ela está muito grata pelo apoio que recebe de seus seguidores e sente que não está sozinha em sua jornada. Ela sabe que irá vencer a doença.

Suas fotos mostram o que é possível alcançar quando você recebe a ajuda de que necessita. Ela parece uma pessoa diferente hoje em dia e está feliz em sentir que pode aproveitar a vida novamente. É difícil de acreditar que essas são fotos da mesma garota.

Hannah agora está estudando na Inglaterra, onde faz parte de um time de remo. “Esconder a verdade não é a solução. A anorexia é uma doença terrível, mas você pode vencê-la. Eu sei que eu nunca mais quero voltar a ser como eu era”, disse Hannah. Tomara que Hannah consiga permanecer no caminho certo e manter seu peso. Ela é uma menina tão linda, e parece que tem um futuro brilhante pela frente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *