O que esta garçonete encontra na mesa, a faz explodir em lágrimas. Você precisa conhecer sua história.

foto-pronta

Um dia, um homem viu um carro parado na beira de uma estrada. Ao lado do veículo, ele viu uma senhora sozinha. Estava escuro, mas ele percebeu mesmo assim que ela precisava de ajuda. Então, ele estacionou na frente da sua Mercedes e foi a seu encontro. Enquanto o carro da idosa era luxuoso, o dele era uma verdadeira lata velha. Mesmo ao se afastar alguns passos do veículo, o homem ainda podia ouvir a carroceria sendo sacudida pelo motor recauchutado.

Quando se próxima do Mercedes, a mulher está sorrindo, mas o medo está estampado em seu olhar. Ninguém tinha parado para ajudá-la em mais de uma hora. Quem era aquele homem? Ele iria machucá-la? Ele parecia pobre e faminto, e não tinha um aspecto confiável.

O homem, por sua vez, percebeu que ela estava com medo. Ele conhecia bem o que ela estava sentindo: era aquele arrepio que só as pessoas que já sentiram muito medo conhecem.

Ele disse: “Eu estou aqui para ajudá-la senhora. Por que voce não espera dentro do carro? Lá está mais quentinho. À propósito, meu nome é Bryan Anderson.”

O problema da mulher era um pneu furado. Mas para uma idosa este era um imenso desafio. Sabendo disso, Bryan engatinhou para baixo do veículo e procurou sozinho a melhor posição para pôr o macaco. Ele logo conseguiu trocar o pneu, mas ficou com as mãos sujas e os dedos machucados.

Enquanto ele apertava os parafusos da roda, ela abaixou a janela e começou a conversar com o homem. A senhora contou que não era daquelas bandas e estava ali apenas de passagem. Ela não sabia como agradecê-lo por ter parado para ajudá-la.

Bryan apenas sorriu. A mulher perguntou quanto lhe devia, e disse que pagaria qualquer quantia que ele pedisse. Muito aliviada, a idosa só conseguia pensar em todas as coisas terríveis que poderiam ter acontecido, caso ele não tivesse parado.

Mas Bryan nem pensou duas vezes. Para ele, este ato gentil não tinha sido um trabalho. Ele estava apenas auxiliando alguém que precisava de ajuda, e Deus sabia quantas outras pessoas já o tinham também socorrido no passado. Ele viveu toda a sua vida desta maneira e não tinha nenhuma intenção de mudar sua maneira de ser.

Diante da insistência da mulher, ele disse que se ela realmente quisesse lhe pagar algo, que fosse então na mesma moeda. Bryan pediu a idosa que da próxima vez que ela visse alguém precisando de ajuda, que ela desse àquela pessoa a assistência necessária. E adicionou: e pense em mim…

Depois de se despedirem, Bryan esperou que a mulher partisse e, em seguida, foi embora. Este tinha sido um dia frio e depressivo, mas ele se sentia feliz no seu caminho para casa.

Alguns quilômetros depois, a senhora avistou um pequeno restaurante. Ela entrou para comer alguma coisa e relaxar um pouco antes de iniciar o trecho final de sua viagem. O lugar era sombrio e do lado de fora tinham duas bombas de gasolina caindo aos pedaços.

Vendo que a idosa tinha o cabelo molhado da chuva fina, a garçonete lhe trouxe uma toalha seca. A menina tinha um sorriso doce, destes que nem mesmo um dia inteiro correndo de um lado para o outro pode tirar do rosto. A mulher também percebeu que a garçonete estava grávida de cerca de 8 meses e pensou que deveria ser muito cansativo trabalhar de pé com uma barriga já tão grande. Ela ficou se perguntando como alguém que tinha tão pouco podia ser tão gentil e amorosa com os outros. E então ela se lembrou do Bryan.

Após terminar sua refeição, a idosa pagou a conta com uma nota de R$ 100. A garçonete correu para pegar o troco. Porém, quando voltou, a mulher não estava mais na mesa. Enquanto se perguntava para onde a idosa tinha ido, ela viu algo escrito em um guardanapo.

Lágrimas escorreram dos seus olhos ao ler a seguinte mensagem: “você não me deve nada. Eu também já estive no seu lugar. Um dia alguém me ajudou da mesma maneira que eu estou te ajudando. Se você realmente quiser me pagar de volta, então faça o seguinte: não deixe que esta corrente do bem acabe em você.”

Embaixo do pedaço de papel estavam mais 4 notas de R$ 100.

No restaurante, aquela foi uma tarde movimentada, com muitas mesas para limpar e clientes para servir, mas a garçonete conseguiu chegar até o fim do dia ainda sorrindo. Ao chegar em casa e deitar na cama, ela ficou pensando sobre o dinheiro e sobre a mensagem que a idosa escreveu. Como aquela mulher poderia ter adivinhado o quanto ela e seu marido estavam precisando daquela ajuda? Com o nascimento do bebê no próximo mês, as coisas iam ficar bem difíceis…

A menina sabia que seu marido estava muito preocupado. Então, ao vê-lo dormindo a seu lado, ela lhe dá um beijo e sussurra no seu ouvido: “Vai ficar tudo bem. Eu te amo, Bryan Anderson.”

Um velho ditado diz: “tudo que vai, volta”. Compartilhe esta história com seus amigos. Espalhe esta corrente do bem!

(Via agencia de noticia)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *