O caminhoneiro dá carona para uma mulher e sua filha no meio da noite. Mas quando elas adormecem, ele muda o rumo da viagem. Elas não imaginavam que acordariam neste lugar.

foto-pronta

Rumiko Kawaguchi é uma adolescente japonesa de 15 anos. Seu maior sonho é um dia virar piloto de avião. Em 2010, ela se candidatou para uma vaga numa famosa escola, onde ela poderia aprender esta profissão ao mesmo tempo em que cursava o ensino médio. Um dia antes da entrevista e da prova que poderiam mudar sua vida, a menina e sua mãe, Susana, foram até a estação de trem por volta da meia-noite. Elas planejavam pegar o trem noturno para se deslocar até Wajima, cidade a 300km de distancia, onde ficava o curso. Mas isso nunca aconteceu. Devido à uma tempestade de neve, as viagens de trem foram suspensas por tempo indeterminado.

Desesperada, Rumiko começa a chorar. Como ela chegaria à tempo para fazer a prova de admissão às 9 da manhã? Mas sua mãe não a deixa desistir: “você vai pedir carona”, ela determina. A mulher e sua filha enfrentam a neve e caminham até a estrada mais próxima. No local, as duas tentam durante 1 hora fazer com que algum carro pare. Finalmente, um motorista se apieda e as leva até a próxima estação de trem, localizada a 20 km de distância. Porém, esta estação também está fechada. Sem saber o que fazer, mãe e filha voltam para a estrada. Já são 5 da manhã e faltam apenas 4 horas para o teste. Praticamente congeladas de frio, elas caminham até um posto de gasolina, onde veem um grande caminhão.

O motorista concorda em levá-las até a cidade de Kanazawa, que fica no caminho do seu destino final. De lá, elas ainda precisariam fazer uma viagem de 2 horas de ônibus para chegar até Wajima, o local do teste. O caminhoneiro se apresenta como Yokoyama e fica surpreso com a história da saga da menina. Como já é tarde e a viagem é longa, ele aconselha que as duas tirem um cochilo. Porém, quando o grupo chega num ponto da estrada onde existe uma bifurcação, Yokoyama toma uma decisão surpreendente: ele conduz seu caminhão para a direção oposta do seu destino inicial. Ele então se vira para Rumiko e Susana e diz: “Eu vou levar vocês duas até Wajima.”

A mãe e a filha não sabem nem como agradecer! Yokoyama liga para seu cliente e avisa que chegará 4 horas atrasado. Às 8:50 da manhã, exatamente 10 minutos antes do início da prova, eles finalmente param em frente à escola. Os funcionários ficam incrédulos ao ver um caminhão gigante estacionar na sua porta e observam boquiabertos enquanto a estudante faz sua entrada espetacular de último minuto. Rumiko e Susana dizem 1000 vezes obrigada para seu salvador e pedem seu nome completo e endereço, pois elas querem lhe agradecer mais tarde de maneira apropriada. Mas o motorista apenas sacode os ombros e diz: “Não se preocupe. Eu tenho uma filha da sua idade e eu entendo como você estava se sentindo”. Em seguida, ele vai embora.

Quando a menina de 15 anos senta para fazer o teste, ela mal pode acreditar na primeira tarefa: “Descreva uma experiência que te tenha tocado”. Sem hesitar, Rumiko descreve o que aconteceu naquela noite, explicando como ela encontrou um homem com um bom coração e como sua mãe nunca saiu do seu lado, não deixando que ela desistisse.

E o melhor de tudo? Rumiko foi aceita na escola de pilotos! Após saber da história, a escola fez de tudo para localizar o caminhoneiro. Quando conseguiram falar com ele, a primeira coisa que ele perguntou foi: “Ela conseguiu?” Yokoyama ficou emocionado ao saber que Rumiko tinha passado na prova, mas insistiu em dizer que ‘não fez nada demais’.

Mais tarde, Rumiko ingressou no Colégio Japonês de Aviação. Ela continua lutando para realizar seu maior sonho. E, se este sonho está hoje mais perto do que nunca, ela deve isso à ajuda de sua mãe e de um motorista gentil.

A história de Rumiko mostra o quão importante pode ser a ajuda de um estranho. Este ato altruísta mudou totalmente a vida da menina. Compartilhe este artigo com seus amigos. É sempre válido lembrar que devemos espalhar o bem pelo mundo.

(Via agencia de noticia)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *