‘Não pare agora’, gritou mulher, flagrada pela polícia, em ato sexual em público; assista

foto-pronta

Um casal foi flagrado durante um ato sexual público. Os dois estariam alcoolizados e a reação da mulher está-se tornando viral, depois do Vídeo que registrou esse momento ter caído na Internet. Assim que foi interrompida pelos policiais, a mulher começou reclamando com eles, nada satisfeita com a parada forçada. “Não vou parar porque eu não quero”, foram algumas das palavras dessa mulher, que acabou sendo detida.

Que momento, esse! As pessoas estavam assistindo e acabaram filmando a cena, que acabou em confusão entre esse casal e a #Polícia. Antes da polícia chegar, as pessoas já estavam filmando o ato sexual que a mulher estava fazendo, de joelhos, para o namorado, de acordo com os testemunhos das pessoas presentes. A mulher, sem camisa, apenas de sutiã, e o homem com as calças para baixo. Quando chegou a polícia e depois de se comporem um pouco mais, colocando a roupa, começou a altercação.

Tudo porque a mulher não estava nada contente com a interrupção, nesse preciso momento. “Você não pode nos parar agora”, disse ela para a policial, quase pedindo para que ela os deixasse terminar o ato que estavam fazendo, na frente de todos.

Tudo isso aconteceu durante a manhã de segunda-feira, na porta de um bar, em Buenos Aires, na Argentina, causando ainda mais surpresa nas pessoas, que estavam passando pelo local. Alegadamente, os dois estariam alcoolizados depois de terem passado toda a noite, dentro da discoteca. O homem se limitava a sorrir e a tentava acalmar a namorada, sem nunca interpelar os policiais.

O espetáculo é todo dado por ela, que acabou levando à detenção dos dois. Quando foram mandados parar, ela ficou insistindo que não estava fazendo nada de mal, uma vez que eles eram namorados e tinham o direito de manter relações sexuais, onde bem quisessem. Durante todo o tempo, ela parece mesmo acreditar que os policiais não podem prendê-los, que não teriam autoridade para fazer isso.

No entanto, a polícia não teve outra alternativa e teve mesmo que detê-los, acusados pelo crime de ofensa à decência pública.

(Via agencia de noticia)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *