Ministro da Índia teria sido flagrado vendo fotos íntimas de esposa de Donald Trump

Um ministro foi acusado de usar o celular para ver as fotos pornográficas em público durante uma festividade.

foto-pronta

Tanveer Sait, ministro da Educação Primária e Secundária em Karnataka, um estado no sudoeste da Índia, tinha causado revolta ao ser filmado, no dia 10 de novembro, olhando fotos no celular durante um discurso em uma cerimônia pública. Com a cena veiculada nacionalmente pela imprensa, chegou-se à conclusão de que se tratava de pornografia, e o ministro foi duramente criticado.

Em uma virada surpreendente, daquelas que dão razão ao velho dito que afirma que a diferença entre a ficção e a vida real é que só a ficção é obrigada a fazer sentido, na quarta-feira, dia 16, a imprensa divulgou a conclusão a que chegaram policiais experientes que examinaram as imagens do ocorrido divulgadas pela imprensa: a não ser que as imagens tenham sido adulteradas, tratava-se, na verdade, de fotos picantes — tiradas há quinze anos atrás — de ninguém mais, ninguém menos do que a futura primeira-dama dos Estados Unidos Melania Trump, ex-modelo nascida na Eslovênia, antiga república da Iugoslávia, e mulher do magnata do ramo imobiliário #Donald Trump, eleito presidente dos Estados Unidos como candidato do Partido Republicano.

O ministro, porém, afirma que as fotos eram representações de Tipu Sultan, uma figura histórica que governou um reino no sul da Índia, inclusive parte do que hoje é o estado de Karnataka, no final do Século XVIII, que ele recebeu em seu celular. A cerimônia que o ministro estava presente era justamente parte das comemorações do aniversário do líder. Sait, que é membro do Partido do Congresso Indiano e membro da Assembleia Legislativa de Karnataka, afirma ainda que planeja tomar medidas legais contra quem fez a filmagem comprometedora, pois este seria o responsável pelo que o ministro qualifica de boato.

Fotos provocantes dos tempos de modelo da mulher do presidente-eleito ganharam ampla circulação nas redes sociais após a vitória do republicano. O partido BJP (Bharatiya Janata Party ou, em português, Partido do Povo Indiano), governo no nível nacional, mas oposição no estado de Karnataka, exigiu a renúncia do ministro, o qual teria trazido vergonha ao seu ministério. O Partido BJP é contra a comemoração do aniversário de Tipu Sultan, pois, segundo Appachu Ranjan, membro da Assembleia Legislativa do Estado de Karnataka, como representante de Madikeri, capital do distrito de Kodagu (a região do distrito teria sofrido mais com a violência e a tirania do líder), declarou: “Todo o povo de Kodagu é contra este Tipu Jayanti (festival comemorando o nascimento de Tipu). Tipu saqueou templos, matou pessoas.

Quanto a Trump, o que ele fará com a questão depois de se tornar “líder do “Mundo Livre”? Retaliará com os recursos postos a seu dispor pelos eleitores ou cumprimentará o bom gosto de Sait? Aconteça o que acontecer, agora é pessoal.

(Via agencia de noticia)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *