Mãe foi proibida de amamentar bebê na loja Zara

foto-pronta

Charlotte Stanbridge, de 21 anos, viveu uma situação bem complicada, quando apenas queria amamentar o seu bebê.Esta mãe estava fazendo compras na Zara, na Inglaterra, junto com a irmã, quando o pequeno Teddy, de apenas sete meses, deu sinal de fome. O menino começou chorando e a #mãe teve que enfrentar a inesperada decisão de uma funcionária, que não a deixou amamentar dentro da loja. Agora, a #Zara já veio se desculpar, garantindo que não é essa a política seguida por uma das lojas de roupas que mais vende, por todo o mundo.

O incidente vivido por Charlotte está deixando os diretores da Zara vexados, com a vergonha de uma possível discriminação, que eles acabaram aceitando. Em comunicado, a direção da Zara, na Inglaterra, informou que lamenta o sucedido e que a política da empresa pede que todas as mães tenham o máximo de conforto, quando precisarem amamentar os seus #Bebês, no interior de suas lojas, por todo o mundo. Lamentam ainda que essa funcionária não tenha seguido essa política, e que o chefe da equipe já teria falado com ela sobre esse incidente.

Antes disso, Charlotte não ficou nada com essa noção sobre as políticas da Zara. Como cliente da loja, que estava procurando por umas roupas, ela se sentiu desrespeitada no seu papel de mãe. Charlotte sentiu que não foram justos com ela, muito menos com o seu bebê, que estava com fome. A mulher admitiu ter se atrasado na procura e algumas peças, mas a fome não se atrasa e, chegando a hora, Teddy reclama e ela exige o direito de poder alimentar o seu filho, quando ele pede.

O que não aconteceu nessa loja. Depois de estar provando umas roupas, ela notou que tinha vários provadores livres. Por isso, perguntou para uma funcionária se tinha problema de entrar em um, para dar a mama para Teddy. A resposta foi imediata, com a funcionária falando que era proibido fazer isso, mas que ela podia usar a cafeteria logo ali do lado. Charlotte ainda tentou explicar que o bebê se distraía facilmente com o barulho e que ela se sentia mais confortável, amamentando em um local mais privado. Resposta pronta novamente, falando que ela poderia usar o lavabo da cafeteria.

A jovem mãe ainda pediu para falar com a gerente, que concordou que o procedimento da funcionária foi errado e que iria falar com ela. No entanto, não regressou com a resposta que Charlotte pretendia, que ficou aguardando, junto com a irmã e o pequeno Teddy.

(Via agencia de noticia)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *