Maconha é vendida com marca das Olimpíadas e traz recado surpreendente!

foto pronta

Voltou a repercutir na internet imagens polêmicas que mostram o poder do tráfico de drogas no Rio de Janeiro. De acordo com uma reportagem do jornal carioca O Dia, faltando menos de 40 dias para os Jogos Olímpicos, a Polícia da cidade maravilhosa tenta apurar a origem de tabletes de maconha que trazem o selo dos jogos. “Hidropônica\ R$ 30,00\ Complexo PL e do PG\Qualquer violação reclamar na boca”, diz o recado surpreendente presente em fotos da droga que são divulgadas na internet. O selo funciona para dar credibilidade ao tráfico, com uma suposta defesa ao consumidor na comunidade, que na prática não existe.

De acordo com a reportagem, a maconha hidropônica é aquela que tem efeitos ainda mais alucinógenos, o que torna a droga mais perigosa. Diferente da versão natural, a droga da foto é cultivada em laboratório para ter o seu efeito aumentado. A divulgação das imagens, é claro, gerou muita polêmica, espantando muita gente e dando o que falar em todo o mundo. O Comitê das Olimpíadas, no entanto, preferiu não comentar o caso com o jornal ‘O Dia’.

A polícia civil já identificou que a maconha com embalagens com a logomarca das Olimpíadas no Rio tem sido vendida desde o mês de março em diversas favelas cariocas que são dominadas pelo tráfico de drogas. Em uma delas, o ‘Morro do Barão’, outro crime ficou conhecido em todo o país. Uma adolescente de 16 anos foi estuprada coletivamente. Em depoimento, ela disse que a violação sexual ocorreu por 33 homens. A investigação da Polícia Civil chegou ao indiciamento de sete suspeitos de terem culpa na ação.

Regiões onde droga é vendida e trabalho da Polícia

Outra favela que estaria vendendo a maconha olímpica é a Cidade de Deus, famosa pelo filme de mesmo nome. O carimbo feito no computador mostra que os criminosos sabem usar bem os recursos da informática. Na internet, muita gente brincou falando que agora vão colocar a validade, calorias e outras informações comuns em diversos produtos.

No dia 1º de março, o batalhão de Irajá chegou a apreender dezenas de trouxinhas da droga no Morro do Juramento.

(Via agencia de noticia)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *