Jovem morre após levar ‘chupão’ no pescoço! Confira…

foto-pronta

Na Cidade do México, um jovem rapaz de 17 anos veio a óbito depois de levar um chupão no pescoço dado pela sua namorada de 24 anos. O jovem se chamava Julio Macias Gonzalez e depois do beijo intenso no pescoço que recebeu da namorada, foi jantar com a família, iniciando logo em seguida as convulsões que o levaram à morte. A namorada do jovem, chamada Iris, acabou fugindo, já que os pais de Júlio acreditam que a culpa da morte do filho seja de sua responsabilidade.

De acordo com o jornal local ‘El Ciudadano’, Júlio chegou a ser socorrido por uma unidade de emergência, porém ele não resistiu e acabou vindo a óbito. O médico que realizou o atendimento informa que o ‘chupão’ no pescoço fez com que se formasse um coágulo que foi até o cérebro por meio da corrente sanguínea, causando uma embolia.

Esse caso teve grande repercussão e serve de alerta aos casais, pois a prática é muito comum nos jovens apaixonados e também tem adeptos de todas as idades. Muitos desconhecem o perigo do “chupão”. O ato faz com que o sangue acumule em uma região e causa o aspecto vermelho, podendo formar coágulos que podem circular pelo corrente sanguínea.

Muitos acham bonito e encaram o “chupão” como uma marca de amor, exibindo com orgulho as marcas deixadas. Outros acham algo tão feio e tão íntimo que preferem de alguma forma esconder as feridas. A região preferida e de maior perigo para esta prática é o pescoço, como foi no caso de Íris e Júlio. As marcas podem demorar quase 2 semanas para desaparecer.

Em 2011, o “chupão” quase causou a morte de uma moça na Nova Zelândia. Ela conseguiu escapar com vida, porém teve sequelas e ficou parcialmente paralisada, pois o coágulo formado causou um acidente vascular cerebral (AVC). Os médicos que atenderam a jovem só descobriram as causas quando repararam as marcas em seu pescoço.

Diante desses relatos, é melhor não sair aceitando nem dando “chupão” no parceiro, pois como vimos, o ato pode levar à morte ou causar graves sequelas. Mesma que pareça um ato de amor, é preferível evitar.

(Via agencia de noticia)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *