Idosa recebe ajuda de estranhos após ser abandonada por familiares em estrada

foto-pronta

Você teria feito o mesmo? Pense por um minuto. Você vê uma idosa desamparada na rua, sozinha, deixada à própria sorte. Você passa reto? Você lhe dá algo, como dinheiro, comida, água? Ou oferece algum tipo de auxílio? Situação complicada para muitos, com certeza. Para este homem, Tarksangat, a decisão o fez salvar uma vida.

O caso o chocou completamente: em uma estrada na cidade de Khargone, na Índia, via-se uma idosa totalmente desamparada, suja e desnutrida, que havia sido abandonada por sua família para morrer, contrariando a cultura indiana.

Por isso, Tarksangat decidiu que não deveria ficar parado. Utilizando-se do Facebook, ele tirou fotos e as publicou para que mais pessoas pudessem ver seu estado. Junto da foto, escreveu o seguinte texto:

“Recentemente passei por uma situação complicada enquanto viajava de Khargone para Madhya Pradesh. Vi esta senhora no acostamento perto do Hospital do distrito de Govt em uma situação terrível.

E continuou: “No princípio, fiquei em dúvida se a ajudaria, pensando que devia ter uma doença mental, mas não resisti ao vê-la nessas condições e fui falar com ela. Assim que seu deu conta de minha presença, comprei um pouco de comida”.

Então, Tarksangat percebeu: seria seu dever tomar conta dela. No dia seguinte, foi a mesma coisa. Depois do trabalho, preocupado, o homem passou novamente ao lado de onde a senhora estava.

Ele ainda não sabia o que podia fazer com ela, só não podia deixá-la lá. Para a sua surpresa, quando ele menos esperava, dois jovens se aproximaram dizendo querer o mesmo, ajudá-la, mas não sabiam como.

A sugestão? Pedir a ajuda de uma ONG. Por que Tarksangat não pensou nisso antes? Juntos, “decidimos resolver a situação, ao invés de deixá-la morrer na rua”, como contou ele.

O contato não demorou a acontecer. Com a ajuda de Amarjeet SinghSudan ji, um trabalhador social em Indore que pediu mais detalhes sobre a situação da idosa com fotos, etc, para enfim pedir auxílio da ONG.

A espera era atordoante, mas naquela mesma tarde, veio a confirmação: havia uma cama livre em Ujjain. Eles só precisavam de uma carta da polícia para a aprovação de sua estadia. Felizmente, a notícia voou e todos se juntaram para conseguir um lugar para a senhora.

Agora, ela foi admitida em um hospital e segundo a administração, ela iria ser transferida a um asilo assim que se recuperasse. “Foi aí que me dei conta que é sempre importante dar o primeiro passo. Sempre tem alguém que podemos ajudar, você só deve dar o passo para fazer essa mudança”.

E aí? O que você achou? Que bom que existem pessoas assim.

(Via agencia de noticia)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *