Este homem freia porque a velhinha no meio da rua o assustou. Quando ela entra no carro com ele, ele tem uma surpresa.

foto-pronta

O que um motorista em Martinsburg, West Virgina (EUA) vivenciou, nos mostra como é importante prestar atenção aos que estão ao nosso redor. Quando este homem viu uma mulher na rua em uma manhã, ele parou para ver se estava tudo bem com ela.

Um pouco preocupado, ele dirigiu até chegar perto da idosa, abaixou a janela e lhe perguntou se ela estava bem. A senhora respondeu que ela estava à caminho da loja… em Hedgesville. “Eu fiquei chocado. Demora 10 minutos de carro para se chegar a Hedgesville de onde nós estávamos”, disse o motorista. Tentando conter as lágrimas, a mulher explicou que ela era de Hedgesville, mas que depois que o filho dela morreu, ela havia sido relocada para Martinsburg, onde não conhecia ninguém.

Inundado de compaixão pela mulher, o homem pediu a ela para entrar no carro com ele. “Ela ficou um pouco confusa, então eu disse a ela para entrar e disse que a levaria onde ela quisesse e depois a levaria para casa em segurança.” Felizmente, a aposentada entrou e levou o motorista na mais interessante jornada de sua vida.

Ele ficou sabendo que o nome dela era Isabelle. Ela tinha 93 anos e era indígena. Ela contou ao motorista sobre seu primeiro casamento, que aconteceu quando ela tinha apenas 13 anos, sobre seus cinco maridos, e sobre as montanhas onde ela cresceu. “Ela era incrível, tão cheia de vida e engraçada”, lembra o homem.

Com todas as histórias emocionantes que Isabelle tinha para contar, o caminho até Hedgesville parecia ter voado. O “motorista particular” dela a esperou em frente à loja e ficou impressionado quando ela voltou para o carro com apenas um pote de café instantâneo. No caminho de volta para casa, Isabelle havia esquecido seu endereço. “Você sabe onde eu moro?”, ela perguntou, confusa, ao que o gentil homem sorriu e disse, “Não, mas vamos continuar dirigindo. Talvez você se lembre no caminho.”

Na volta para casa, ela contou como havia trabalhado em uma fazenda aos 12 anos. Ela havia conhecido seu primeiro amor em um orquidário, mas que não era para ser, já que um relacionamento com uma “menina vermelha” (indígena) era proibido.

Quando ela finalmente chegou em sua casa, ela olhou para o homem que a deu carona uma última vez e disse: “eu não sei de onde você veio mas eu quero te agradecer.” O motorista ficou tocado e deu seu cartão a Isabelle, dizendo a ela para ligar para ele se ela precisasse de ajuda.

“Eu provavelmente nunca mais vou ouvir falar da Isabelle, certamente eu nunca mais a verei de novo. Mas ela me deu a mais incrível mini aventura ao permitir que eu voltasse no tempo para viver as histórias da vida dela. Eu espero que Isabelle esteja bem, que ela saiba que ela é incrível e que tocou a minha vida hoje.”

É legal ver que tem pessoas como este motorista, que não ignoram os idosos, mas que os ajudam e os escutam. Se você não tem vontade de ouvir as histórias de vida das outras pessoas, você está perdendo uma experiência maravilhosa.

(Via agencia de noticia)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *