Este bebê “mumificado“ era um bicho de estimação. Mas ao olhar melhor, eles veem um lampejo de esperança.

p

As fotos a seguir são tristes e impressionantes. Elas foram tiradas por funcionários de uma entidade de proteção animal chamada IAR (Resgate Internacional de Animais), sediada em Bornéu, uma ilha na Ásia. Eles encontraram este bebê orangotango “semi-mumificado” dentro de uma caixa de papelão em uma vila remota.

Os funcionários da ONG ficam chocados com a situação do bichinho e pensam que ele está morto. Mas este pequeno guerreiro, coberto de pulgas e moscas, se mexe um pouquinho, deixando todos boquiabertos: ele está vivo!

Quando veem que o filhote ainda respira, os cuidadores logo se apaixonam por ele, e resolvem chamá-lo de Gito. “Este é um dos casos mais chocantes de crueldade animal e de negligência que nós já vimos. Mesmo os funcionários mais durões da ONG ficaram sem palavras,” conta um dos homens responsáveis pelo resgate.

Sua mãe foi morta por caçadores quando ele era apenas um recém-nascido. O responsável pelo massacre vendeu o filhote por 20 Dólares para o chefe de uma aldeia, que pretendia transformá-lo em seu bicho de estimação.

No entanto, este líder tribal logo perdeu o interesse no pequeno bebê, o abandonando dentro de uma caixa exposta ao sol, com um pouco de leite ao lado.

Quando a equipe de resgate o encontrou, o corpo de Gito estava tão rígido devido aos maus-tratos, que ele parecia mais morto do que vivo.

Ele se encolheu todo para se proteger do sol forte, e sua pele e seus pelos foram impiedosamente devorados por parasitas, deixando o animal quase careca.

Percebendo que Gito está à beira da morte, os funcionários da ONG tentam recuperar a sua saúde. Mas o caminho é longo e tortuoso, literalmente. O vilarejo onde o macaco foi encontrado é tão remoto que os socorristas precisam dirigir 9 horas para chegar até a clinica veterinária. Eles temem que Gito não resista a esta extenuante viagem.

Mas o filhote tem sorte: ele sobrevive e é imediatamente submetido a diversos exames. Os veterinários limpam o seu corpo e o tratam com medicamentos. Finalmente, pela primeira vez em sua curta e triste vida, Gito move sua pequena mão e toca aqueles que o estão ajudando.

p

(Via Agencia De Noticias)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *