Esta grávida não sabia que haviam tirado o bebê da sua barriga. Semanas depois, ela vê a criança.

A enfermeira inglesa Colvina Jolin tem 28 anos e casou-se há 24 meses com Matt. Esta foto mostra o casal na sua viagem de lua-de-mel no Peru.

p

A felicidade do dois ficou completa com a notícia de que virariam pais. Quando atinge a 23ªsemana de gestação, Colvina praticamente já terminou de organizar tudo para a chegada do neném: as roupinhas foram compradas e o quarto foi decorado com carinho. Além disso, o casal também já escolheu um nome para a criança.

Porém, um dia ela estava em casa quando começou a sentir uma dor de cabeça insuportável. Colina consegue ainda pegar o celular e ligar para seu marido, mas logo desmaia. Sem saber bem o que aconteceu, Matt liga para uma ambulância, que chega em poucos minutos.

No local, os paramédicos não conseguem identificar o origem do problema e levam a jovem mulher para um hospital. Finalmente, eles tem um diagnóstico: Colvina teve uma enorme hemorragia cerebral. Ela precisa ser transferida para um outro hospital melhor equipado, mas a chance de que ela sobreviva ao deslocamento é de apenas 10%. Matt tem que fazer uma escolha difícil: caso ele não autorize a remoção, sua esposa definitivamente morrerá. Porém, caso ele decida transferi-la, suas chances de sobrevivência são maiores, mas o risco para o bebê na barriga é muito maior.

Matt decide realizar o transporte. Com o passar das horas, os médicos percebem que esta foi a escolha certa. Colvina sobrevive ao deslocamento e é então submetida a uma operação. Os cirurgiões conseguem estabilizá-la e fazem de tudo para garantir a segurança do bebê. Com o derrame, o suprimento de sangue do feto fica temporariamente comprometido, mas a menina sobrevive dentro da barriga da mãe. Apesar do sucesso do procedimento, a família recebe também uma terrível notícia: Colvina entrou em coma e ninguém sabe se ela um dia despertará.

Sem poder fazer nada, seu marido e sua mãe a visitam frequentemente no hospital por muitas semanas. Miraculosamente, Colvina tenta várias vezes tocar sua barriga, como se soubesse, mesmo em coma, que está grávida.

De repente, ao completar 29 semanas, ela entra em trabalho de parto. “Nos meus 13 anos como cirurgião, eu só vi isso acontecer 3 vezes. É um milagre quando a natureza segue seu curso mesmo nestas condições,” diz o Dr. Andy Eynon. Os médicos realizam uma cesariana e a pequena Maia vem ao mundo. Entretanto, quando a bebê é colocada nos braços da mãe, Colvina não desperta do coma e não demonstra nenhuma reação.

Apesar do parto ter corrido bem, Maia é um bebê prematuro e corre risco de morte. Ao longo dos seus primeiros dias, ela precisa ser ressuscitada duas vezes pelos médicos e tem que permanecer numa incubadora. Matt está no limite das suas forças: ele não sabe se sua filha sobreviverá e tampouco tem certeza de que sua mulher um dia despertará do seu sono profundo.

Porém, 6 semanas após o nascimento de Maia, o inesperado acontece: Colvina desperta! Ao acordar, ela imediatamente pergunta por sua filha e diz “eu senti que ela tinha nascido e também tive a sensação de que ela estava bem”. Todos choram de emoção na primeira vez em que Maia é colocada nos braços da mãe consciente. Os médicos e enfermeiras mal acreditam que este caso teve um final feliz. Para Matt, um grande peso foi removido de suas costas e ele não poderia estar mais contente e aliviado!

Colvina conseguiu andar de novo e está re-aprendendo a falar. Seus médicos estão impressionados com sua rápida recuperação e sua família agradece todos os dias por ela estar viva e bem. A pequena Maia também vem se desenvolvendo normalmente. A bebê ainda não sabe, mas um dia, quando ela crescer, seus pais pretendem lhe contar a história incrível da sua gestação e parto.

Que lindo final feliz! Se a história desta família também te deixou surpreso e emocionado, compartilhe este artigo com seus amigos e familiares. É sempre bom que lembrar que, mesmo nas situações mais complicadas, nada é impossível!

(Via Agencia De Noticias)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *