Essa garotinha vagou a esmo sozinha por 11 dias. Mas o que estava ao seu lado vai te emocionar.

foto-pronta

Karina Chikitova, de apenas 3 anos de idade, vive com a mãe na Sibéria, uma região na Rússia. Pouco antes de completar 4 anos, a garotinha decide visitar o pai, que vive em um vilarejo próximo. Karina conhece o caminho, percorrido muitas vezes com ambos os pais, e parte sem que a mãe veja. Sua única companhia, o cachorrinho da família. Ao chegar, porém, a dupla não encontra o pai em casa. Karina, então, inocentemente sai para procurá-lo.

E esse acaba sendo um erro trágico. Karina deixa os arredores do vilarejo e em pouco tempo está completamente perdida. A situação é ainda mais perigosa porque, apesar de cada vez mais raros, lobos ainda são frequentemente vistos na região. Karina, sem se dar conta do perigo, se distancia cada vez mais da segurança da casa do pai. Ao seu lado, o cachorro a segue. Ninguém jamais poderia imaginar que ele faria a diferença entre a vida e a morte para sua pequena dona. 

Ao perceberem o sumiço da filha, os pais de Karina se desesperam. Sua mãe se sente terrivelmente culpada por ter perdido a filha de vista. Apesar de ser o mês de julho, as noites ainda são geladas, com temperaturas às vezes próximas de 0°C. As equipes de busca não encontram nada. Uma semana se passa, depois 10 dias e as esperanças de encontrar Karina com vida são cada vez menores. Após 11 dias sem notícias da filha, sua mãe tenta se conformar com a ideia de que jamais vai ter a filha nos braços novamente. Até que, de repente, o cachorro aparece na porta de sua casa.

De início, todos acham que a volta do cão só poderia significar o pior. Karina provavelmente morreu, perdida e sozinha, e então o cachorro deixou seu corpo e encontrou o caminho de volta. Mas o cão persiste em correr de volta para a floresta, latindo. Os membros da equipe de resgate decidem seguí-lo. No final, eles não acreditam no que encontram: após uma longa caminhada, lá está Karina sentada no chão, muito assustada. Ela está desidratada, esfomeada e congelando. Mas ela está viva!

Karina bebe a água que eles lhe oferecem antes de levá-la de volta aos seus pais. O que ela então conta mostra como precisou lutar para sobreviver: ela comia o que encontrava pelo chão, e durante as noites seu cachorro mantinha os outros animais afastados latindo cada vez que se aproximavam dela. Para se manterem aquecidos, dormiam abraçados. E foi assim que, vestindo apenas uma camiseta e contando apenas com a ajuda do seu cão fiel, essa garotinha conseguiu sobreviver à condições que teriam derrotado qualquer adulto.

Graças a seu companheiro fiel, a história de Karina teve um final feliz. Seus pais mal conseguem acreditar na sua sorte ao segurar a filha nos braços novamente. Para homenagear este cãozinho tão especial, uma estátua de ambos foi erigida na pequena cidade onde vivem.

A pequena Karina, hoje, já se recuperou. Mas ela vai ser eternamente grata a seu amigo por tê-la salvado. Ele não apenas ficou do seu lado, a protegendo e aquecendo, como também encontrou o caminho de volta para casa e trouxe socorro.

Que dupla corajosa! Sua história tem circulado e tocado o mundo. Se você também se emocionou, compartilhe com seus amigos.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *