ELE NÃO PODIA NEM SE LEVANTAR DA CAMA – MAS HOJE, GRAÇAS A ESTE REMÉDIO, ESTÁ CURADO!

foto pronta

O processo começou com pontadas agudas na região lombar, diagnosticadas como um bico de papagaio, incurável segundo o médico.

Depois, tinha um peso crescente na barriga da perna direita, que acabou virando uma dor que só aumentava.

Já mal se levantava da cama, sentindo um formigamento descer pela perna até aos pés, causado pelo bico de papagaio, que apertava o nervo ciático e quando em pé e curvado lhe dava folga.

Fazia praticamente todos os seus trabalhos sentado, menos a missa, até que sua situação piorou e acabou tendo que rezar a missa também sentado.

Consultando novos médicos, soube que tinha um bando de bicos-de-papagaio calcificados, em grau avançado, e que nada era possível fazer.

Aplicações de ondas curtas e distensões da coluna não tiravam a dor.

Dormia enrolado na cama como um gato, sem poder se endireitar, pois a dor o acordava.

Foi então que, num encontro de jesuítas cientistas em Porto Alegre, encontrou o padre Suarez, que lhe falou da cura com cloreto de magnésio, mostrando o livrinho do padre Puig, jesuíta espanhol que a descobriu.

Padre Suarez contou que sua mão estava dura de tão calcificada, mas com esse sal voltou a se movimentar e que outros parentes seus também haviam se curado graças a este remédio.

Padre Beno começou a tomar o remédio e 20 dias depois acordou estirado na cama, sem dor.

Depois de 30 dias nada mais doía.

Aos 40 dias, caminhou o dia inteiro, com pequeno peso.

Em três meses sentia crescer a flexibilidade. Depois de dez meses, dobrava-se quase como uma cobra.

Além disso, padre Beno tinha a pulsação seguidamente abaixo de 40 e ela se normalizou.

O sistema nervoso ficou notoriamente calmo, ganhou maior lucidez, o sangue ficou descalcificado e fluido.

As frequentes pontadas do fígado sumiram, a próstata, que estava para ser operada, já não incomodava muito

 E outros efeitos devolveram ao padre a alegria de viver.

Por isso, ele se viu obrigado a repartir o presente que o bom Deus deu a ele, divulgando o remédio.

De fato, o cloreto de magnésio é um dos melhores e mais baratos remédios naturais conhecidos.

Ele funciona como suplemento alimentar com muitos benefícios para a saúde.

E ajuda a manter nosso corpo jovem, com energia, além de combater e prevenir muitas doenças.

Este suplemento é facilmente encontrado em boas farmácias e em lojas de produtos naturais.

Procure o cloreto de magnésio PA (que significa “puro para análise”), porque é o mais concentrado e mais bem assimilado pelo organismo.

Vende-se nas boas lojas de produtos naturais, na internet e até em farmácias.

Os benefícios do cloreto de magnésio são muitos, muitos mesmo!

– Fortalece os ossos: graças a ele, o corpo absorve melhor o cálcio, prevenindo a osteoporose.

– Combate e evita esporão de calcanhar.

– Normaliza a circulação sanguínea, prevenindo ataques cardíacos.

– Fornece energia para o corpo.

– Normaliza a pressão arterial.

– Combate bronquite.

– Evita gripes e resfriados.

– Estabiliza o sistema nervoso, funcionando como um tranquilizante natural.

– Previne enxaqueca.

– Limpa o sangue.

– É um regulador intestinal eficaz.

– Dissolve colesterol.

– Previne o diabetes.

– Ativa a produção de anticorpos, ou seja, aumenta o poder do sistema imunológico.

– Previne a formação de pedras nos rins.

– Melhora o funcionamento dos rins, prevenindo ácido úrico e artrite.

– Melhora o sistema muscular e cardiovascular.

– Desempenha um papel muito importante em muitas funções celulares.

– Ajuda na digestão difícil.

Como preparar e consumir

Use uma água pura, sem cloro e, se possível, também sem flúor.

Dissolva numa jarra 33 gramas de cloreto de magnésio (essa é geralmente a quantidade comercializada) em 1 litro de água filtrada.

Depois de bem misturado, colocar em uma jarra de vidro (não use recipiente de plástico).

A dose é um copinho de café, conforme a idade:

– de 10 a 40 anos: metade de uma dose pela manhã

– de 40 a 70 anos: uma dose pela manhã

– de 71 em diante: uma dose pela manhã e outra à noite

O cloreto de magnésio é contraindicado em casos de diarreia e de insuficiência renal.

E o uso exagerado (grandes doses) pode causar náuseas, vômitos, diarreia e desconforto abdominal.

Para um consumo mais seguro do cloreto de magnésio, consulte seu médico antes.

(Via agencia de noticia)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *