Criança de 13 anos morre após 68 dias em jejum em nome da religião

foto-pronta

A morte de uma menina de apenas 13 anos chocou o mundo esta semana. A Indiana Aradhana Samdariya passou mais de dois meses sem ingerir qualquer alimento, ela apenas bebia pequenas doses de água quente. Jejuou por exatos 68 dias, e não resistiu a inanição.

Os pais da menina que são adeptos do ‘Jainismo’ estão sendo acusados de causar a morte da filha por negligência e crueldade, que se enquadra em homicídio culposo. Laxmi Chand e Manshi Samdariya alegaram que Aradhana apenas pediu a permissão para iniciar o sacrifício religioso, disseram inclusive que ao 51º dia alertaram a garota, mas ela se recusou a desistir. Em depoimento eles registraram que tudo aconteceu de modo voluntário.

Autoridades e polícia da cidade de Hyderabad na Índia, estão investigando o caso. Ativistas de uma ONG local afirmam que a menina foi forçada pelos pais, pois um ‘Guru’ aconselhou a família, afim de que o negócio deles obtivesse prosperidade, a criança deveria se submeter a esta prática. Os pais de Aradhana são empresários afortunados, lidam com ouro e jóias em uma grande cidade da região.

Em entrevista a BBC o ativista Indiano Achyut Rao disse que este fato é uma vergonha para todo o país que nos tempos de hoje, com tanta informação, uma prática cruel assim ainda exista. Ele ainda menciona que a família fez do funeral uma procissão com intuito de ‘santificar’ a criança. Rao diz estar perplexo pois a família está feliz, acreditando que a filha é especial e rara aos olhos de Deus.

Em muitos anos na história pôde se constatar a prática do jejum por religiões diversas, muçulmanos, Judeus e Hinduístas especialmente pelos períodos mais longos. O Monge ‘jainista’ Maharasa Ravinder Muniji em entrevista ao site Firstpost, defende a prática, abre uma exceção apenas para mulheres grávidas ou quem tem algum problema de saúde. Ele alega que não existem motivos para impedir que uma criança jejue, e em relação a quanto tempo suporta sem alimento, vai depender apenas de sua capacidade de tolerância.

A índia é um país onde 80% de sua população é adepta do Hinduísmo, os outros 20% são fracionados entre Islâmicos (11%), Cristãos (3,8%), Sikhismo (2%), Jainismo (0,5%) e outras (1,7%).

(Via agencia de noticia)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *