(BOMBA) Ditador cubano, Raul Castro, em entrevista acaba de declarar “GUERRA AO BRASIL”

Saúde vida e família, trazendo noticia para você!

Exclusivo e agora, acabamos de receber em nossa redação a seguinte informação, Raúl Castro em entrevista para uma rádio local em Cuba, acaba de declarar rompimento com o Brasil, em nota declarada.“Não reconheço o governo golpista deste Michel Temer, Cuba não compactua com a ação violenta do Congresso Nacional brasileiro contra a legítima presidenta Dilma Rousseff”  disse o ditador em alto e bom som, a declaração de Castro, causou um reboliço no meio político brasileiro, imediatamente o presidente Temer foi notificado das palavras fortes e concisas contra o seu governo e contra a República Federativa do Brasil.

Especialistas políticos acabam de informar que este tipo de declaração vinda de um líder político, nada mais é do que um recado de “guerra” contra uma nação considerada inimiga, “existem vários tipos de guerras, a guerra de armas, guerra de armas químicas e guerra civil, mas também não podemos deixar de lembrar que outras guerras fizeram parte da história mundial, como a guerra fria”, disse Reinaldo Janot.

O Brasil procura manter sua relação estreitas com todos os países, ainda que tenham o seu regime,ditatorial, mas o que não podemos aceitar é um presidente ditador atacar o sistema democrático brasileiro e dizer que no Brasil, de forma violenta, o que não é verdade, destituiu a ex-presidente Dilma Rousseff, ela foi deposta do poder através de um processo sujo? pelo contrário, foi legítimo, acompanhado pelo povo brasileiro e mais, apoiado com veemência pela maioria do Congresso Nacional  e Senado Federal, além da ampla varredura dos autos pelo Poder Judiciário, complementou o especialista.

Vale destacar em que, o ex-presidente Lula visitou Fidel Castro, ou melhor, visitou na verdade os seus familiares e acompanhou o velório em Cuba, no mesmo dia em que o Brasil chorava a morte dos atletas da Chapecoense,  acompanhado de Dilma Rousseff, o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva fez questão de demonstrar o seu apreço pelo ditador cubano Raúl Castro, irmão de Fidel Castro, que morreu no último mês em idade avançada, estamos apurando este desastre de declaração de Castro, mas é o que temos para o momento, as fontes são direta,  e veja também.

Castro diz que só reconhece o governo brasileiro quando o presidente da República for eleito por voto direto.

O governo comunista de Cuba botou o Brasil na prateleira da prioridade zero, quando se fala em relações internacionais. A administração de Raúl Castro não reconhece o governo de Michel Temer e se nega a receber as credenciais do embaixador Frederico Duque Estrada, hoje assessor-chefe de Comunicação do Itamaraty.

Como Cuba não faz a gentileza inerente às boas relações entre países, o Senado brasileiro não tem como reconhecer a indicação. O mesmo comportamento se vê no governo da Venezuela. O embaixador no Brasil, Alberto Castellar, não entregou as suas credenciais.

Balela

O que é estranho é a justificativa de Cuba para romper as relações. Castro diz que só reconhece o governo brasileiro quando o presidente da República for eleito por voto direto.

Memória curta

O Brasil foi um dos maiores parceiros em cooperações técnicas com a participação da Embrapa, ajudou a financiar obras através do BNDES e foi um dos países que mais colaborou com a ajuda humanitária à Cuba.

Bye bye

O ministro José Serra dá sinais que está disposto a sair do Itamaraty. O problema não é a coluna cervical que o levou ao Sírio-Libanês. O senador licenciado acha que sua missão no cargo já foi concluída.

Rachadura

Prevendo um ano espinhoso no Congresso Nacional, o presidente Michel Temer vai intensificar o diálogo com líderes de partidos aliados em janeiro. A estratégia é evitar que o recesso parlamentar amplie a rachadura na base. A prioridade do peemedebista é debelar a crise com o PSB, que não anda muito satisfeito com os resultados.

Para depois

Pouco ou nada se ouviu dos ex-presidentes Lula da Silva ou Dilma Rousseff
sobre a reforma trabalhista, que está no Congresso. Talvez por conta das festas natalinas.

Em queda

Indicadores de consumo sinalizam uma contração do mercado interno. É o que diz a Carta de Conjuntura do Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada.

Negativo

A queda da produção industrial tem dois motivos principais, diz o Ipea. Além da retração do consumo, houve queda de vendas para o exterior em 2016.

Olhar pra frente

O presidente Michel Temer reconhece a crise recessiva, mas não comenta muito o passado. Aposta num futuro melhor para a economia, como disse no pronunciamento do Natal.

Esporte de verão

Os parlamentares têm se ocupado em enviar mensagens natalinas e de Ano Novo pelo WhatsApp. O aplicativo é uma descoberta que agrada a gregos e a troianos da política brasileira.

Às claras

O brasileiro anda desconfiado com o Programa Bolsa Família. É o que mostra um levantamento do Instituto de Pesquisa do Senado Federal. Cerca de 90% das pessoas entrevistadas querem que os nomes e o valor dos benefícios sejam divulgados na internet, para que o sistema seja mais transparente.

São Tomé

Neste quesito, 69% defendem que a divulgação seja feita através do número do CPF do beneficiário. A maioria (75%) considera que esta divulgação tem um propósito nobre, pois evitaria o desvio na aplicação dos recursos públicos. A preocupação tem razão de existir, pois em recente pente-fino mais de 1,1 milhão de irregularidades foram descobertas.

Sonho de criança

O avião presidencial está sendo comandado por uma mulher. A capitã Carla Borges já pilotou um caça AMX e diz que sempre teve o desejo de voar.

Ponto Final

Do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva: “O Brasil após o golpe começa a regredir. Vamos lutar por um Brasil que não volte ao mapa da fome”.

(Via agência de notícia)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *