‘Anticoncepcional’ masculino! Tecnologia usa um botão para bloquear espermatozoides

foto-pronta

Desde a antiguidade os diferentes métodos de contracepção se referem ao controle de natalidade, onde se caracteriza pela adoção de uma ação ou uma série de procedimentos, medicamentos ou dispositivos combinados, que tem por objetivo a prevenção ou redução direta e eficaz da #Mulher engravidar a partir do momento em que assume uma vida sexual ativa. Obviamente, quando um casal adota o planejamento familiar, o conceito em si diz respeito diretamente ao uso correto dos vários métodos anticonceptivos existentes no mundo atualmente.

E por falar em modernidade, o cientista e inventor de cidadania alemã, Clemens Bimek, construiu uma engenhoca no mínimo muito curiosa, que é algo semelhante a uma espécie de interruptor. Muitos podem estar se perguntando, o que tem a ver um interruptor com a prevenção da gravidez? A resposta é nada e, agora, tudo! O dispositivo serve para ligar, ou melhor, desligar a via de acesso das células sexuais masculinas, os espermatozoides, oriundas da bolsa escrotal e que rumam durante o orgasmo para o canal uretral.

A estratégia utilizada na maquininha é bem simples, ou seja, uma vez sendo acionado, o pequeno botão do interruptor age como mais uma alternativa moderna para a contracepção, bloqueando por completo que o homem fecunde o óvulo da parceira ou a engravide.

O nome pode parecer estranho, mas o objeto foi chamado de Bimek SLV, em homenagem ao seu inventor, e foi construído com materiais presentes também na fabricação de próteses que são transplantadas em pacientes ao redor do mundo diariamente. O Bimek SLV é pequeno, medindo 1,8 cm e pesando aproximadamente dois gramas.

Ao ser inserido através de uma cirurgia rápida na região do saco escrotal, o homem consegue perceber o botão com o tato e o aciona ligando a hora que quiser ou for necessário, como, por exemplo, no momento que antecede as relações sexuais. A vantagem do dispositivo sobre os tradicionais anticoncepcionais femininos é que o indivíduo não precisa ingerir o coquetel de hormônios presentes nas pílulas femininas, que em alguns casos prejudicam a saúde de mulheres mais sensíveis aos medicamentos.

Os representantes da Medicina na Alemanha mantém uma atitude um tanto cética em relação ao aparelho; todavia, motivam Bimek para que ele possa continuar com o empreendedorismo nas pesquisas do interruptor e adaptabilidade ao corpo humano masculino.

Vale ressaltar que independentemente da esfera de discussão médica, o controle de natalidade está sujeito à discussão de outras temáticas, como a política, a ética e a religião; logo, o Bimek SVL muito provavelmente não escapará de ser alvo de comentários e críticas.

(Via agencia de noticia)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *