(ALERTA) Este homem roeu suas unhas. Pouco tempo depois, ele estava morto.

foto-pronta

Problemas psicológicos podem frequentemente levar pessoas a se machucarem. Eles podem se transformar em um transtorno comportamental, um vício ou uma compulsão. John Gardener, um homem de 40 anos de Wigan, na Inglaterra, tinha sofrido de ansiedade crônica e depressão por muito tempo e, como consequência, começou a roer suas unhas. Mas o que parecia ser um hábito nervoso inofensivo, acabou tendo consequências terríveis. Esperamos que a triste história de John sirva de aviso para todos nós.

Quando John tinha apenas 10 meses de vida, os médicos o diagnosticaram com diabetes, e pelo resto de sua vida ele precisou de duas injeções de insulina por dia. A doença levou a outros problemas de saúde, e John desenvolveu uma séria condição cardíaca. Em 2011, sua perna estava tão ruim por causa das úlceras resultantes de sua diabetes, que ele teve que amputá-la. Nesse ponto, os problemas psicológicos de John começaram a piorar.

Com o passar dos anos, o hábito de roer as unhas de John ficou mais intenso. O Dr. Daniel Vernon, que estava tratando John na época, relatou que suas unhas estavam constantemente em más condições e que ele provavelmente perdera todo o tato nas pontas dos dedos.

A perda do tato significava que não importava o quanto ele roesse suas unhas, John não sentia qualquer dor. A situação ficou tão ruim, que ele frequentemente acabava no hospital com sérios sangramentos.

Por fim, as coisas ficaram tão ruins quanto possíveis. Os dedos de John ficaram horrivelmente infectados com sepsia, que rapidamente se espalhou pelo seu corpo. John recebeu antibióticos para combater a infecção, mas eles não ajudaram, e seus dedos tiveram que ser amputados. Inicialmente, parecia que a cirurgia havia sido um sucesso. Sua condição melhorou e a febre causada pela infecção tinha sumido. Mas infelizmente para John, isso era apenas um adiamento temporário.

Pouco depois do seu aniversário de 40 anos, John morreu de um ataque cardíaco. Posteriormente, foi determinado que o ataque foi causado por causa da infecção da sepsia que surgiu porque ele mordia suas unhas.

A morte de John foi um choque para todos, especialmente para sua mãe, que fez este comentário: “isso atingiu duramente a nossa família. Havia mais que poderia ter sido feito para ajudá-lo. Eu não desejo que isso aconteça com o filho de ninguém, é simplesmente devastador.”

A história de John é realmente triste, mas também pode servir como um aviso para não subestimarmos problemas psicológicos e procurarmos ajuda profissional o mais rápido possível. Ansiedade, depressão, distúrbios alimentares e outras mudanças claras no comportamento que estão causando danos a uma ou mais pessoas devem ser sempre levadas a sério. Pois como o caso de John nos mostrou, até mesmo hábitos supostamente inofensivos como roer as unhas podem levar a sérias e trágicas consequências.

(Via agencia de noticia)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *