Adolescente era drogada e estuprada todos os dias pelo seu próprio pai

foto-pronta

Pai drogava e estuprava a filha todos os dias enquanto dizia “minha esposa”

 Emma Burt, de 19 anos, saiu do anonimato para contar tudo sobre o abuso que sofreu de seu pai, que a drogou e estuprou por dois longos anos enquanto lhe chamava “minha esposa”, em Newtown, na Inglaterra, segundo um artigo publicado pelo jornal Daily Mirror.

Tudo começou quando Emma tinha 15 anos e foi viver com seu pai Christopher Wayne Edwards, de 40 anos, em dezembro de 2012, depois de uma briga com sua mãe.

Um mês depois que Emma passou a morar com seu pai, Edwards lhe fez comer cannabis até ela desmaiar começando assim o abuso sexual diariamente.

Aos 17 anos, Emma conseguiu escapar das garras de seu pai, mas a essa altura ela já estava viciada em cocaína e anfetaminas que recebia do homem que devia cuidar dela.

Emma disse que seu pai estava tão doente, que durante os abusos mele costumava chama-la de “minha esposa”, “- eu era praticamente a sua mulher”, contou.

A jovem contou ao jornal britânico, que ela ficou tão dependente das drogas, que não se dava conta do eu realmente estava acontecendo durante os abusos.

“Quanto mais drogas eu usava, mais poderia ignorar o que estava acontecendo”, confessa Emma.

Em dezembro de 2014, devido aos graves problemas de saúde e mental que estava passando, Emma resolve pôr fim a toda a sua dor, saltando de uma ponte.

“Foi quando percebi que tinha que fazer alguma coisa, eu não aguentava mais”, lembra a jovem, que decidiu denunciar o seu pai quando ele estava no meio de uma reunião familiar.

Edwards foi preso e condenado a 12 anos de prisão por #Estupro e quatro acusações por ter tido atividades sexuais com um membro da família menor de idade.

Do abuso a redenção
Emma espera que, ao contar sua triste história, possa estar encorajando outras vítimas de abuso sexual a denunciar os abusos.

“Eu espero que o revelar tudo o que ele fez comigo, eu possa assim estar salvando uma outra menina”, diz ela ao jornal.

Segundo um relatório da Organização das Nações Unidas (ONU), uma em cada dez meninas em todo mundo sobrem abuso sexual, totalizando uma cifra de 120 milhões.

A UNICEF tem alertado que a violência contra as crianças ocorre em locais onde elas deveriam estar seguras, nas comunidades, nas escolas e até mesmo nos próprios lares.

No Brasil, para denunciar abusos sexuais contra criança é simples, basta a pessoa discar o número 100, e registrar sua denúncia contra esse tipo de abuso.

(Via agencia de noticia)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *